Nossos links

www.marcio-marques.blogspot.com / www.blogmarciao.blogspot.com / www.creioemjesuscristo.blogspot.com / www.creiologoconfesso.blogspot.com

Quem é o Marcião?

Minha foto

Sou cristão. Creio em Jesus Cristo. 

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Estruturas Literárias Surpreendentes (Gênesis)


A Bíblia é um livro surpreendente. Hoje eu gostaria de compartilhar com vocês algumas estruturas impressionantes no livro de Gênesis.
Numa primeira leitura, o texto parece ser meio caótico, sem muita organização. Mas à medida que o estudamos, nos extasiamos com a sua mensagem, com sua influência em tudo que nos cerca (literatura, filosofia, pintura, música, cinema...), bem como nas estruturas literárias. Vamos apresentar abaixo as estruturas fundamentais do livro do Gênesis (1). 

1) Da Criação aos Patriarcas (Gênesis 1.1-11.32)
As letras no início das linhas apontam para os temas paralelos nas letras correspondentes (ex: A - A'; B - B'; etc.). Esta é uma estrutura alternante, em 7 divisões binárias.

A  História da criação: primeiro início; bênção divina (1.1-2.3)
   B   Pecado de Adão: nudez; ver/cobrir nudez; maldição (2.4-3.24)
      C   Nenhum descendente ao jovem assassinado; Abel, filho justo (4.1-16)
         D   Descendentes de Caim, filho pecaminoso (4.17-26)
            E   Descendentes de Sete, filho escolhido: dez gerações de Adão a Noé (5.1-32)
               F Ruína: união ilícita (6.1-4)
                  G Breve introdução a Noé (6.5-8)
A'  História do dilúvio: reversão da criação; novo início; bênção divina (6.9-9-19)
   B'  Pecado de Noé: nudez, ver/cobrir nudez; maldição (9.20-29)
      C'  Descendentes do mais jovem; Jafé, filho justo (10.1-5)
         D'  Descendentes Cam, filho pecaminoso (10.6-20)
            E'  Descendentes de Sem, filho escolhido: dez gerações de Noé a Terá (10.21-32)
               F' Ruína: união rebelde - Torre de Babel (11.1-9)
                  G'  Breve introdução de Abraão, por meio de quem Deus abençoará a humanidade (11.27-32)

Compare as letras (A - A'; B - B'; etc.). É surpreendente!


2) Ciclo de Abraão (Gênesis 11.27-22.24)
Esta é uma estrutura concêntrica, ou seja, as extremidades se encontram, até chegar ao centro do texto (seu clímax). Estrutura em 6 divisões binárias.

A   Genealogia de Terá (11.27-32)
   B   Promessa de um filho e começo da odisséia espiritual de Abração (12.1-9)
      C   Abraão mente acerca de Sara; o Senhor a protege no palácio estrangeiro (12.10-20)
         D   Ló se estabelece em Sodoma (13.1-18)
            E   Abraão intercede por Sodoma e por Ló com força militar (14.1-24)
               F   Aliança com Abraão; anúncio de Ismael (15.1-16.16)
               F'  Aliança com Abraão; anúncio de Isaque (17.1-18.15)
            E'   Abraão intercede por Sodoma e por Ló em oração (18.16-33)
         D'  Ló foge de Sodoma destruída e se estabelece em Moabe (19.1-38)
      C'  Abraão mente acerca de Sara; Deus a protege em palácio estrangeiro (20.1-18)
   B'  Nascimento do filho e clímax da odisséia espiritual de Abraão (21.1-22.19)
A'  Genealogia de Naor (22.20-24)


3) Ciclo de Jacó (Gênesis 25.19-35.22)
Outra estrutura concêntrica. Estrutura em 6 divisões binárias.

A   Busca de oráculo; luta no parto; nasce Jacó (25.19-34)
   B   Interlúdio: Rebeca em palácio estrangeiro; pacto com estrangeiros (26.1-35)
      C   Jacó teme Esaú e foge (27.1-28-9)
         D   Mensageiros (28.10-22)
            E   Chegada em Harã (29.1-30)
               F   Esposas de Jacó são férteis (29.31-30.24)
               F'  Rebanhos de Jacó são férteis (30.25-43)
            E'  Fuga de Harã (31.1-55)
         D'  Mensageiros (32.1-32)
      C'  Jacó regressa e teme Esaú (33.1-20)
   B'  Interlúdio: Diná em palácio estrangeiro; pacto com estrangeiros (34.1-31)
A'  Oráculo cumprido; luta em parto; Jacó se torna Israel (35.1-22)


4) Ciclo de José (Gênesis 37.2-50.26)
Outra estrutura concêntrica. Estrutura em 7 divisões binárias.

A   Introdução: início da história de José (37.2-11)
   B   Jacó pranteia a "morte" de José (37.12-36)
      C   Interlúdio: Judá designado líder (38.1-30)
         D   Servidão de José no Egito (39.1-23)
            E   José, salvador do Egito por meio de desaprovação na corte de Faraó (40.1-41.57)
               F   Viagem dos irmãos ao Egito (42.1-43.34)
                  G   Irmãos de José passam no teste de amor por ele (44.1-34)
                  G'  José renuncia seu poder sobre os irmãos (45.1-28)
               F'  Migração da família para o Egito (46.1-27)
            E'  José, salvador da família por meio do favor da corte de Faraó (46.28-47.12)
         D'  Servidão dos egípcios a José (47.13-31)
      C'  Interlúdio: Judá abençoado como líder (48.1-49.28)
   B'  José pranteia a morte de Jacó (49.28-50.14)
A'  Conclusão: fim da história de José (50.15-26)


Bruce Waltke afirma que um dos temas centrais em Gênesis é o da "semente".
Ao criar o ser humano, Deus abençoa "a sua semente":
"E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra" (Gn 1.28).
No jardim, o Senhor, se dirigindo à serpente, afirma:
"Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar" (Gênesis 3.15).
Após o pecado, Gênesis começa a dar destaque aos "filhos de Deus", em contraste com os "filhos dos homens". Neste sentido, o destaque está para Adão-Sete-Noé, por um lado, e para Noé-Sem-Héber-Terá-Abraão-Isaque-Jacó-os 12 filhos de Jacó.
Não é por acaso que o primeiro ciclo (1.1-11.32) culmine nas figuras de Noé e Abraão, duas "sementes" por meio de quem Deus abençoará a humanidade.
O segundo ciclo (11.27-22.24) tem como centro a aliança e o anúncio do nascimento dos filhos de Abraão, com destaque para Isaque, o filho/semente da promessa.
O terceiro ciclo (25.19-35.22) está centralizado na afirmação da "fertilidade" tanto das esposas quanto do rebanho de Jacó.
O quarto ciclo (37.2-50.26) está centralizado nos 12 filhos de Jacó, ou ainda, no relacionamento de amor que serve, capaz de trazer reconciliação. A narrativa bíblica relaciona os 12 filhos de Jacó às 12 tribos de Israel, povo chamado para ser um "reino de sacerdotes" (Ex 19.1-6).
O tema da semente aponta para Cristo. Por um lado, a Igreja antiga leu Gn 3.15 como uma promessa cumprida em Jesus Cristo, que pisou a cabeça da serpente. Por outro lado, do mesmo modo que Deus salva Noé e sua família através do madeiro da arca, Cristo traz salvação a partir do madeiro da cruz. Além disso, a promessa de Deus para Abraão, de bênção a todas as nações/famílias da terra (Gn 12.1-3; 18.18) é cumprida em Jesus Cristo, "filho de Davi, filho de Abraão" (Mt 1.1; Gl 3.16). Por meio de Cristo, somos feitos filhos de Deus (Jo 1.12; Gl 3.26).

Gênesis é ou não um livro extraordinário? E pensar que ele foi escrito há milhares de anos, num contexto em que não havia computadores (que poderiam facilitar a sua edição), e as pessoas não dispunham de bibliotecas e métodos literários como nós temos hoje! Qual é o gênio literário que poderia escrever uma obra como esta? Mas o Gênesis faz parte de um texto maior, a Bíblia, e está inserido numa estrutura ainda maior. O Gênesis é fruto de uma grande inspiração!


------------------------------------------

Fonte das Estruturas: Bruce K. WALTKE. Comentário do Antigo Testamento: Gênesis. São Paulo: Cultura Cristã, 2010, pp. 18-20.

Leia nossos posts!

Leia nossos posts!